A RAINHA DO CRIME – ASSASSINATO NO CAMPO DE GOLFE

DE: AGATHA CHRISTIE

ASSASSINATO NO CAMPO DE GOLFE

     

 “― Quelle idée! Está realmente pensando que irei a Santiago?

― Foi o que o Sr. Renauld sugeriu na carta.

― Ele não conhece os métodos de Hercule Poirot. Não fico correndo de um lado para o outro, em viagens intermináveis, agitando-me à toa. Meu trabalho é feito aqui dentro!

E Poirot bateu na testa, com um gesto expressivo… Como inevitavelmente acontecia, o comentário dele provocou a minha faculdade contestatória.

― Isso é muito bom, Poirot, mas acho que está começando a desprezar certas coisas em demasia. As impressões digitais já levaram a muitas prisões e já causaram a condenação de mais de um criminoso.

― E, sem a menor dúvida, também já serviram para enforcar mais de um homem inocente ― comentou Poirot, secamente.

― Mas não acha que o estudo das impressões digitais e de pegadas, das diferentes espécies de lama, assim como outras pistas decorrentes da observação meticulosa dos detalhes, podem ter uma importância vital?

― Mas claro que acho! Aliás, nunca disse ao contrário. O observador treinado, o expert, certamente é muito útil. Mas os outros, os Hercule Poirot, estão acima dos experts!  Os experts entregam os fatos a eles, que cuidam então de definir o método do crime, da dedução lógica, da sequência e ordem apropriadas dos fatos. Acima de tudo, determinam a verdadeira psicologia do caso. Por acaso já caçou raposas?

― Claro!

Poirot sacudiu o dedo em minha direção.

― Ninguém desce do cavalo e sai correndo a farejar pelo chão, a soltar latidos, não é mesmo?

Contra a vontade, não pude deixar de soltar uma risada. Poirot assentiu, visivelmente satisfeito.

― É isso mesmo. Numa caça a raposas, deixa-se o trabalho dos cães para os cães. Contudo, estava querendo que eu, Hercule Poirot, assumisse um papel ridículo, deitando-me no chão (e possivelmente sobre a grama úmida!) para estudar pegadas hipotéticas…”

ASSASSINATO NO CAMPO DE GOLFE − Uma carta de um desconhecido, com um pedido de socorro, leva o detetive belga Hercule Poirot e seu ajudante Hastings à França. Dois assassinatos cometidos com um intervalo de mais de 20 anos. Que ligação existe entre eles?

A amante de um misterioso milionário, um fio de cabelo, uma espátula ensanguentada, um cano de chumbo e um campo de golfe. E o melhor amigo de Poirot apaixonado por uma mulher que pode ser uma perigosa assassina…

QUER SABER MAIS? ACESSE:  

http://agathachristie.com 

Contato:

jugloxinia@uol.com.br

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s