ASSASSIN’S CREED – 1° LIVRO – RENASCENÇA

DE: OLIVER BOWDEN

CREDO DOS ASSASSINOS  – 1° LIVRO – RENASCENÇA

    

“A multidão começou a murmurar, mas então uma voz firme a silenciou. Giovanni Auditore estava falando:

    – O traidor é você, Uberto. Você, um de meus parceiros e amigos mais próximo, a quem confiei a vida! E sou um estúpido. Não percebi que você era um deles! Nesse ponto ele aumentou o tom da voz para um grande grito de angústia e raiva: – Você pode tirar nossas vidas hoje, mas não se esqueça: vamos arrancar a sua em troca!

     Ele abaixou a cabeça e ficou em silêncio. Um silêncio profundo, interrompido apenas pelas preces murmuradas do padre. Em seguida Giovanni Auditore andou com dignidade até a forca e encomendou sua alma à última grande aventura que ela ira viver.

     Ezio de início estava chocado demais para sentir dor. Era como se um enorme punho de ferro o tivesse acertado. Mas quando o cadafalso se abriu sob Giovanni, ele não conseguiu se conter.

     – Pai! – gritou, com voz embargada.

     Na mesma hora os olhos do espanhol o encontraram. Haveria algo de sobrenatural na visão daquele homem, por tê-lo identificado no meio de uma multidão daquelas? Como se em câmara lenta, Ézio viu o espanhol se inclinar na direção de Alberti, sussurrar     algo e apontar.

     – Guardas! – berrou Alberti, também apontando. – Ali! Tem outro deles ali! Atrás dele!

     Antes que a multidão pudesse reagir e contê-lo, Ézio já tinha forçado passagem até o canto, socando qualquer um que barrasse sua passagem. Um guarda já o esperava. Ele agarrou Ézio, puxando-lhe o capuz. Agindo como por instinto, Ézio se soltou e sacou a espada com uma das mãos, agarrando o guarda pela garganta com a outra. A reação de Ézio tinha sido mais rápida do que o guarda esperava, e, antes que ele pudesse erguer o braço para se defender, Ézio apertou ainda mais sua garganta e o punho da espada e, com um único movimento rápido, abriu o corpo do guarda, de modo que os intestinos vazaram sob sua túnica para o chão com calçamento de pedra. Ele atirou o corpo para o lado e se virou para a plataforma, olhando fixamente para Alberti.

    – Eu vou matá-lo por isso! – berrou, com a voz cheia de ódio…”

RENASCENÇA – Ézio, um garoto com dezessete anos levava uma vida normal para um adolescente em 1476 em Florença, sua cidade natal. Tinha uma tendência à liderança, e desde então, já se mostrava preocupado em defender os mais indefesos de oponentes opressores.  Mas atrás da aparência tranqüila do povo de sua cidade, estava sendo travada uma guerra silenciosa e antiga entre duas facções: Os Assassinos contra os Templários. E ele só veio descobrir a existência dela quando seu pai e seus irmãos foram executados em praça publica, acusados de crimes dos quais não cometeram. Tomado pela sede de vingança Ezio que passou a ser procurado, pois também tinha sido acusado injustamente do mesmo crime. Passa a caçar todos os envolvidos a tramar o assassinato de seus entes queridos. E em sua procura pela vingança ele encontra amigos que em seu caminho o ensinam novas técnicas para se tornar mais eficiente em sua arte de matar. E à medida que ele captura um a um dos envolvidos na morte de seu pai e irmãos, novos nomes são acrescentados a sua lista de pessoas não gratas a sociedade. E assim começa a sua jornada como um assassino…

 

 

QUER SABER MAIS? ACESSE: http://antongill.com/biog.html

Volte sempre a,

VAMPIT.

J. P. Santos, agradece.

https://vampitdivulgalivros.wordpress.com.

Contato:

 jugloxinia@uol.com.br

GOSTOU?

DEIXE SEU COMENTÁRIO.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s