A MEDIADORA – 5° LIVRO – ASSOMBRADO

DE: MEG CABOT

OBS: entre em contato com jugloxinia@uol.com.br para obter o livro.

      “Foi Jesse quem o fez parar.
– Você – disse ele, numa voz bastante profunda. E autoritária. A ponto de fazer Craig parar. – Peça desculpas à ela.
O cara na porta virou a cabeça lentamente para olhar Jesse.
– De jeito nenhum – foi o que teve a falta de sensatez de dizer. Um segundo depois ele não estava saindo – nem atravessando – aquela porta. Não. Estava grudado nela. Jesse estava segurando um dos braços de Craig no que parecia ser um ângulo muito doloroso Às costas, e estava encostado firmemente contra ele.
– Peça desculpas à jovem dama – sibilou Jesse. – Ela está tentando lhe fazer uma gentileza. Não se vira as costas a alguém que está tentando fazer uma gentileza.
Epa. Para um cara que parece não querer nada comigo, Jesse certamente pode ficar irritado com o modo como outras pessoas me tratam.
– Desculpe – disse Craig numa voz abafada contra a madeira da porta. Parecia estar sentindo dor. Só porque você está morto, claro, não significa que seja imune à ferimentos. Sua alma se lembra, ainda que o corpo não exista mais.

     – Assim está melhor – disse Jesse, soltando-o.
Craig se afrouxou contra a porta. Mesmo ele sendo meio escroto, senti pena do cara. Puxa, ele tinha tido um dia ainda pior do que eu, estando morto e coisa e tal.
– É só que não é justo, sabe! – disse Craig num tom sofrido enquanto esfregava o braço que Jesse quase havia quebrado. – Não devia ter sido eu. Eu é que devia ter sobrevivido, não o Neil.
Olhei-o com surpresa.
– Ah? Neil estava com você no barco?
– Catamarã – corrigiu Craig. – E sim, claro que estava.
– Ele era seu parceiro de vela?
Craig me lançou um olhar de nojo. Depois, com um olhar nervoso para Jesse, modificou-o rapidamente para um desdém educado.
– Claro que não. Você acha que nos teríamos virado se Neil tivesse a mínima idéia do que estava fazendo? Pelo direito, ele é que deveria estar morto. Não sei o que mamãe e papai estavam pensando. Leve Neil no catamarã com você. Você nunca leva o Neil. Bem, espero que agora eles estejam felizes. E olha onde eu fui parar. Estou morto. E meu irmão estúpido foi que sobreviveu.”

ASSOMBRADO – Suzannah fica surpresa quando vê de novo Paul, um gato muito gostoso, irmão do pequeno Jack, e também um poderoso mediador. Ou melhor dizendo, um deslocador. Isso mesmo, um deslocador. E que diabos seria isso? Bem, um deslocador seria um mediador, com poderes de se deslocar pelo mundo dos mortos.

     Ela não esperava ter que encontrar com Paul de novo, após as ferias de verão quando ele tentara  matá-la e dar fim em Jesse.  Mas, quando ele se matriculou em sua escola e começou a persegui-la, ela acabou se  envolvendo novamente com ele, principalmente quando ele propõe ensinar-lhe a como utilizar melhor  o seu dom. O que ela aceitou, na esperança de talvez com isso, ela pudesse conseguir ajudar a Jesse a voltar a ser um mortal.

     Nesse meio tempo ela tem que lidar com um fantasma vingativo, que quer matar o próprio irmão, por achar ter morrido no lugar dele.

     Muitas tramas amorosas e aventuras.

     Mas, como será que Jesse vai encarar a volta de Paul?

QUER SABER MAIS? ACESSE:       www.megcabot.com

Volte sempre a,

VAMPIT.

J. P. Santos, agradece.

https://vampitdivulgalivros.wordpress.com.

Contato:

 jugloxinia@uol.com.br

GOSTOU?

DEIXE SEU COMENTÁRIO.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s