IRMANDADE DA ADAGA NEGRA – 6° LIVRO – AMANTE CONSAGRADO

DE: J. R. WARD

PHURY

 “O feiticeiro tinha retornado.

     Phury fechou os olhos e deixou que sua cabeça  caísse para trás, até apoiá-la contra a cabeceira. Ah, demônios, o que estava dizendo. O feiticeiro nunca se foi.

    Companheiro, às vezes me enche o saco, disse lentamente a tenebrosa voz dentro de sua cabeça. Na verdade o faz depois de tudo o que passamos juntos?

     Tudo o que tinham passado juntos… isso era muito certo.

     O feiticeiro era a causa da premente necessidade da fumaça vermelha que sofria, sempre em sua cabeça, sempre amassando em respeito do que não fez, do que deveria ter feito, do que poderia ter feito melhor.

     Deveria. Poderia. Seria.

     Bonita rima. Sua realidade era a mesma dos espectros do anel dos Senhores dos Aneis;  levava-o para  a fumaça vermelha com a mesma segurança que se o bastardo lhe atasse as quatro patas como a um animal e o atirasse na parte traseira de um carro.

     Em realidade, macho, séria bem melhor o para-choque dianteiro.

     Exatamente.

     Em sua mente, o feiticeiro aparecia com a forma de um espectro do anel de pé em meio de um vasto páramo (ecossistema neotropical localizado em altas elevações) cinza, cheio de crânios e ossos. Com seu peculiar acento britânico, o bastardo assegurava que Phury nunca esquecesse seus enganos, a contudente letanía o induzia a acender um após o outro, só para evitar de se meter o armário onde guardava as armas e tragar o chumbo de um calibre quarenta.

     Não o salvou. Não os salvou. A maldição caiu sobre eles por tua culpa. É sua culpa…  é sua culpa…

     Phury tomou outro néscio e o acendeu com o esqueiro de ouro.

     Era o que no Antigo País chamavam o Exílio duplo.

     O segundo gêmeo. O gêmeo malvado.

     Nascido três minutos depois de Zsadist, o nascimento com vida de Phury levou a maldição da instabilidade a sua família. Dois filhos nobres, ambos respirando, em muita boa furtuna, e certamente se restabeleceu o equilíbrio: aos poucos meses, seu gêmeo foi afastado da família, vendido como escravo, e durante um século, abusaram dele de todas as formas possíveis.

     Graças a cadela viciosa que foi sua ama, Zsadist levava cicatrizes no rosto, nas costas, nos braços e no pescoço. E cicatrizes ainda  piores por dentro.

     Phury abriu os olhos. Resgatar o corpo físico de seu irmão não foi o suficiente; necessitou-se do milagre que era Bela para ressucitar a alma de Z, e agora ela estava em perigo. Se a perdião…

     Então tudo voltaria para o lugar adequado e o balanço permaneceria intacto para a seguinte geração, disse o feiticeiro. Honestamente, acredita que seu gêmeo acabaria com a bênção que representa um menino nascido vivo? Você deve ter filhos além do limite. Ele não deve ter nenhum. Essa é a forma em que funciona o equilíbrio.

    Oh, e também tomarei a sua shellan, já mencionei isso?

     Phury segurou o controle e pôs ” Che Gelida Menina”.

     Não funcionou. O feiticeiro gostava de “Puccine”. O espectro do anel simplesmente começou a dançar ao redor do campo de esqueletos, esmagando com suas botas o que encontrava sob seus pés, seus pesados braços oscilavam com elegancia, suas roupas negras e rasgadas assemelhava a crina arremessada para trás da regia cabeça de um garanhão. Frente a um vasto horizonte de um ruim cor cinza, o feiticeiro dançava e ria.

     Tão. Malditamente. Fodido…”

(TRADUZIDO POR FÃS.) Disponibilização/Tradução/Pesquisa: Yuna, Gisa, Mare e Rosie. Revisão Inicial: Lu Avanço. Revisão Final:Etel.  Formatação: Gisa. Projeto Revisoras  Traduções.

AMANTE CONSAGRADO –  Nas sombras da noite de  Caldwell, Nova York, desenvolve-se uma furiosa guerra entre vampiros e seus assassinos. Mas existe um grupo secreto chamado de Irmandade da Adaga Negra.  Onde seis guerreiros vampiros defendem sua raça.

 Phury, um dos membros da Irmandade, se sacrifica pelo bem da raça, convertendo-se no macho responsável por manter a linhagem. E como Primale das quarenta “Escolhidas”, ele terá que ser o pai de filhos e filhas  que assegurarão que sobrevivam as tradições da raça.  E assim haja guerreiros que lutem contra aqueles que querem todos os vampiros extintos.

 Mas sentindo-se culpado pela infelicidade de seu irmão ele vive drogado,  e cheio de remorsos por não ter sido ele e não seu gêmeo a ser seqüestrado, escravizado  e torturado durante séculos. E o único fio de esperança para Zsadist  fora Bela, a qual ambos se apaixonaram. Mas  ela casará com Zadist. Mas agora corria perigo.  Grávida dificilmente resistiria ao parto e ou, o seu filho morreria.

Phury não conseguia aceitar se tornar pai, de infinitos filhos, enquanto  Zsadist perdia Bela e seu único filho, para o destino. Por isso sofre com a perda antecipada da única mulher que conseguiu amar,  e por seu irmão perder a única coisa boa em toda sua vida.

   Por isso ele vive drogado e não consegue concretizar a cerimônia a qual fora designado. A Tomar a primeira das escolhidas, Cornia…

QUER SABER MAIS? ACESSE:   www.jrward.com

J. P. Santos. https://vampitdivulgalivros.wordpress.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s