SÉRIE DOCE – 1°LIVRO – SWEET SURRENDER

DE: MAYA BANKS

 

     “…Ela olhou para o relógio, sabendo que tinha tempo limitado, se ia ficar no apartamento de Gray, antes de ele terminar, ou até voltar de seu local de trabalho atual. Deu um suspiro de alívio enorme quando ouviu o murmúrio de vozes no corredor. Poucos segundos mais tarde, Connor e os três clientes que se reuniu, caminhavam por seu escritório. Ela sentou-se, e remexeu na cadeira até ouvir o retorno de Connor.

     – Oi, – ele disse quando enfiou a cabeça na porta dela. – Você não tem que ficar.

     Ela abriu um grande sorriso.

     – Oh, não há problema. Tenho algumas coisas para terminar. Estou planejando sair em poucos minutos.

     – Quer que eu espere? – Ele ofereceu.

     – Não, vá em frente. Nathan e Micah estão esperando por você no Cattleman’s.

    – Vejo você amanhã, então, – disse ele antes de sair. Ela esperou até que tivesse certeza que tinha ido embora e, em seguida, correu de volta ao escritório do pai. Remexeu na gaveta da escrivaninha onde guardava todas as chaves, até que viu uma marcada com o apartamento de Gray. Triunfante, pegou e voltou para seu escritório para recolher a bolsa. Ela pegou seu celular em seu caminho para fora, e discou o número de Micah.

     – Ei coisa doce, –  disse Micah, quando atendeu ao telefone.

     – Você está com Nathan? –  Perguntou ela.

     – Sim, por quê?

     – Não deixe que saiba que sou eu, –  ela se apressou a dizer.

     Ele fez uma pausa. Seu tom ficou sério.

     – O que está acontecendo?

  – Preciso de um favor, – disse ela. – Não faça nenhuma pergunta.

     – Uh, tudo bem.

    – Você pode deixar Nathan, e me encontrar no apartamento de Gray agora?

     – Vou mais rápido que puder, –  disse ele.

     Ela suspirou de alívio.

     – Obrigado. Vejo você em breve.

    Ela fechou o telefone, grata de não ter feito perguntas. Não que não tivesse muitas quando a visse, mas pelo menos não tinha deixado na frente de Nathan.

     Ela dirigiu direto para casa e estacionou em seu lugar. Olhou cautelosamente para baixo o lugar vazio de Gray no estacionamento, e esperava que ficasse preso no trabalho por mais meia hora, como era suposto.

     Sentou em seu carro, rufando seus dedos no volante até que viu Micah parar, e ocupar uma vaga poucos lugares abaixo. Com a chave de Gray na mão, saiu do carro e correu para Micah.

     – Ei, boneca, o que está acontecendo? – Perguntou quando se aproximou. Sua testa estava enrugada de preocupação.

      Ela agarrou sua mão e o puxou para a porta de Gray.

      – Vou dizer quando chegamos dentro do apartamento.

    Oooh, invadindo e entrando. Você sabe como se divertir, garota. – Ela riu. Levantou a chave quando chegou à porta.

     – Não é invasão de domicílio, se você tem uma chave.

     – Furtiva. Ainda melhor.

   Ela puxou a alça da bolsa por cima do ombro enquanto inseriu a chave na fechadura. Segundos depois, ela e Micah deslizaram para o interior escuro, e Micah fechou e trancou a porta atrás deles.

     – Ok cara de boneca, estamos dentro. Agora você vai me dizer o que estou arriscando para uma cela de prisão?

     Engoliu nervosamente e mexia com a tira da bolsa.

    – Quero que você… amarre-me na cama de Gray. Nua. – Ela ficou tensa, esperando a resposta de Micah. Ela não teve de esperar muito tempo.

     Sua boca se abriu.

     – Uou. Espere um segundo. Você quer que eu faça o que?

     – Você me ouviu, –  ela murmurou.

   – Oh, Menino. – Ele enfiou a mão pelo cabelo na testa, e empurrou para trás até que seus dedos estavam enfiados em desregrados. – Faith, querida, tem certeza que sabe o que você está fazendo?

     Ela olhou o relógio enquanto o pânico subia por sua espinha dorsal.

    – Olha, Micah, você pode jogar de psiquiatra de poltrona, enquanto está me amarrando na cama? Estou correndo contra o tempo. Ele vai estar em casa logo, e prefiro que ele não o encontre aqui.

    – Isso faz dois de nós, – Micah murmurou. Ele suspirou. – Mostre o caminho.

     Ela se dirigiu para o corredor e parou na porta aberta para seu quarto. Quando olhou para dentro, ficou aliviada que a cama era do mesmo modelo que a dela. Tinha estado certa na esperança de que Pop tinha do mesmo modo, os apartamentos mobiliados. Se Gray não tivesse grade de cabeceira, teria que fazer um improviso.

     Ela fez um gesto para Micah e se virou para encará-lo.

     – Sei que isso é esquisito, mas não poderia pedir a Nathan. Ele é muito parecido com um irmão, você sabe, como Connor. Mas você… você pelo menos olha para mim como eu sou uma mulher e não uma irmãzinha.

     Ele arqueou uma sobrancelha.

     Ela lhe deu um olhar de oh, por favor.

    – Vejo você examinando minha bunda, disse ela. – É bom saber que pelo menos um dos meus amigos homens me acha, ou pelo menos a minha bunda, atraente.

     Ele riu.

   – Bem, acho que a recompensa desse empreendimento está começando em vê-la nua. Posso marcar pelo menos uma fantasia da minha lista.

    Ela riu quando puxou sua bolsa do ombro e pegou a corda que tinha comprado a noite anterior. Empurrou a Micah, e ele desenrolou enquanto ela começava a deslizar sua roupa fora.

    – Você sabe, – disse ele. – Se está querendo chamar a atenção desse cara, que estou supondo que é a razão por trás de tudo isso, posso pensar em medidas menos drásticas do que amarrar-se à sua cama.

    As mãos dela pararam quando alcançou ao redor para o fecho do seu sutiã.

     – Aqui, deixe-me ajudar, –  ele ofereceu.

     Seus dedos tocaram nas costas quando soltou os ganchos, e ela segurou as taças sobre os seios com o braço. Ela andou até a cama, ainda vestida com sua roupa interior.

     – Diga-me uma coisa, Micah. Se você entrasse no seu quarto e encontrasse uma mulher nua, amarrada a sua cama, o que você pensaria?…”

    

(Traduzido por fãs) Disponibilização e Tradução: Rachael. Revisora Inicial: Tina. Revisora Final: Dyllan. Formatação: Dyllan. Logo/Arte: Dyllan

SWEET SURRENDER – Ou, Doce Rendição – Às Vezes o Primeiro Passo, Para Tomar O Controle, é a Rendição.

O policial de Dallas, Gray Montgomery foi solicitado pelo policial aposentado Mick, pai de Alex o seu parceiro que foi morto durante o trabalho. Inconformado com o andamento da investigação Mick consegue convencer Grey a se infiltrar na Empresa de Segurança Malone e Filhos,  para seguir a única pista que eles têm. Faith Malone. Ela é filha adotiva de Pop Malone e da amante de Eric Samuels, o suposto assassino de Alex. Sua missão é colar em Faith e esperar que sua mãe entre em contato, para eles localizarem Eric Samuels.

    Faith Malone é uma  mulher  doce, feminina, e delicada. Tudo que Grey deseja, e gostaria de ter em uma mulher. Mas apesar da aparência frágil, Faith sabe exatamente o que quer: Um homem forte,  dominante, que imponha sua vontade, que a faça submissa. Ela esta disposta a se render ao homem certo. E Grey é esse homem. Mas Grey esta  determinado a mantê-la à distância, ele se dedica a investigação para capturar o assassino de seu parceiro, e suspeita que ela esteja jogando. E que, de jeito nenhum ela iria permitir que um homem ficasse a frente no controle de seu relacionamento. Ou iria?

  Mas quando Faith passa a correr perigo, Gray percebe que fará qualquer coisa para protegê-la.

QUER SABER MAIS? ACESSE:   http://www.mayabanks.com

Volte sempre a,

VAMPIT.

J. P. Santos, agradece.

https://vampitdivulgalivros.wordpress.com.

Contato:

 jugloxinia@uol.com.br

GOSTOU?

DEIXE SEU COMENTÁRIO.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s