IRMANDADE DA ADAGA NEGRA – 10° LIVRO – AMANTE RENASCIDO

DE: J.R.WARD

    “…O barulho da cadeira dele sendo empurrada a fez saltar, e todos na mesa ficaram em silêncio, todos pararam de comer, todo o movimento cessou, toda a conversa acabou, enquanto ele saia para fora da sala.

    No’One ergueu o guardanapo e limpou a boca sob o seu  manto. Ninguém olhou para ela, como se todos eles tivessem deixado de notar a fixação dele por ela. Mas no canto da outra extremidade, o anjo com o cabelo loiro e preto olhava direto para ela.

    Erguendo os olhos dele, ela viu Tohrment sair da sala de bilhar cruzando a galeria. Ele tinha uma garrafa de algum líquido escuro em cada mão, e seu rosto sombrio era nada menos que uma máscara mortuária.

     Fechando  as pálpebras, ela alcançou as profundezas, tentando encontrar forças que ela iria precisar de se aproximar do homem que tinha acabado de sair de forma tão abrupta. Ela viera aqui para esse lado, a essa casa, para fazer as pazes com  a filha que havia abandonado.

     Havia outro que precisava de um pedido de desculpas, no entanto.

   E embora as palavras de desculpas e penitência fossem o objetivo final, ela começaria com o vestido, retornando a ele, logo que ela terminasse de limpar e pressioná-lo com suas próprias mãos. Comparativamente, era uma coisa tão pequena. Mas era preciso começar com algum lado, e o vestido era claramente de gerações de sua linhagem dado a sua filha para usar, pois ela não tinha outra família.

    Mesmo depois de todos esses anos, ele continuou a cuidar de Xhexania.

    Ele era um homem de valor.

   No’One não fez barulho para sair, mas a sala ficou em silêncio mais uma vez quando ela se levantou de seu assento. Mantendo a cabeça baixa, ela não saiu através da porta principal, como ele o fez, mas pela porta do mordomo que levava para a cozinha.

    Mancando, passou pelos  fornos e por outros espaços ocupados, desaprovando os Doggen, ela se dirigiu a escada traseira, a que tinha simples paredes de gesso pintadas de branco e degraus de madeira de pinheiros.

    – Foi da shellan dele.

    A sola de couro macio de seu chinelo rangeu quando ela se virou. Lá embaixo, o anjo estava no degrau.

   – O vestido – disse ele. – Esse foi o vestido  que Wellesandra usava na noite em que foram emparelhados quase 200 anos arás.

    –  Ah, então vou devolvê-lo a sua companheira.

    – Ela está morta.

     Um calafrio desceu pela espinha dela. – Morta…

   – Um lesser atirou no rosto dela. – Enquanto No’One ofegava, os olhos brancos dele não piscavam. – ela estava grávida.

     No’One jogou a mão no corrimão enquanto seu corpo balançava.

   – Desculpe-me, – disse o anjo. – Eu não tampo o sol com a peneira e não faço a merda soar melhor, e você precisa saber para onde você está se dirigindo se você vai dar isso de volta  para ele. Xhex deveria ter lhe dito, estou surpreendido que não fez.

    De fato. Embora não  tenha sido como se tivessem passado muito tempo juntas e elas estavam andando nas pontas dos pés em se tratando de seus assuntos.

    – Eu não sabia – disse ela finalmente. – As Bacias do Outro Lado… elas nunca…  – Exceto que ela nunca pensará em Tohrment quando ia até elas, ela tinha se focado em Xhexenia.

    – A tragédia, como o amor, torna as pessoas cegas, – ele disse, como se ele pudesse ler seus arrependimentos.

   – Eu não vou levá-lo a ele. – Ela balançou a cabeça. – Já lhe causei bastante dano. Presenteando-o com o vestido de sua companheira…

    – É um gesto simpático. Eu acho que você deveria entregar a ele. Talvez o ajude.

    – Fazer o que – disse ela entorpecida.

    – Lembre-o que ela se  foi.

    No’One franziu a testa. – Como se ele tivesse se esquecido?

    – Você se surpreenderia minha bela. A cadeia de memória precisa ser quebrada, então eu digo para você trazer o vestido, e deixar que ele o tire de você.

    No’One tentou imaginar a troca. –  Como é cruel, não, se você está tão interessado em torturá-lo, você pode fazê-lo sozinho.

   O anjo levantou uma sobrancelha. – Não é tortura. É realidade. É a passagem do tempo, e ele precisa para seguir em frente,  rápido. Leve o vestido  para ele.

    – Por que está interessado nos negócios dele?

    – O destino dele é o meu.

    – Como isso é possível?

    – Confie em mim, eu não brincaria  com algo assim.

    O anjo olhou para ela como se a desafiasse a encontrar falsidade em qualquer coisa que ele havia declarado.

    – Perdoe-me, – disse ela asperamente. –  Mas eu já causei muito mal para aquele bom macho, eu não devo ser parte de tudo o que magoa.

    O anjo esfregou os olhos como se tivesse uma dor de cabeça. – Porra.  Ele não precisa de mimo. Ele precisa de um bom e duro chute na bunda e se  ele não conseguir um em breve, ele vai rezar para estar na merda que ele está agora.

     – Eu não entendo nada disso.

     – O inferno é um lugar de muitos níveis. E para onde ele está indo vai fazer este trecho da agonia parecer  nada, mas apenas beliscões sob a unha.

     No’One recuou e teve que limpar a garganta. – Anjo, você não é bom em persuadir alguém.

     – Sério, você se surpreenderia.

     – Eu não posso… eu não posso fazer o que você quer que eu…

    – Sim, você pode. Você tem que fazer…”

(Traduzido por fãs) Equipe de tradução Talionis.

AMANTE RENASCIDO – Nas sombras da noite no Caldwell em Nova Iorque, os guerreiros vampiros da Irmandade da Adaga Negra, liderados pelo rei Cego, Wrath, travam uma guerra contra seus inimigos imortais, os lessers, para defender sua raça.  Essa Sociedade de imortais dedica sua existência a tentar destruí-los.  Mas surgi um novo desafio, vindo de terras distantes. Um clã de brutos guerreiros vampiros, liderados por Xcor, anseia tomar a liderança do rei, e passa a ameaçá-los.

Em meio a toda essa confusão, Tohrment, um dos guerreiros da Irmandade, está sofrendo seu calvário sobre a Terra. Incapaz de aceitar a morte de sua companheira Wellesandra, a qual ele foi emparelhado durante 200m anos.  Ela e seu filho, não nascido, foram assassinados pelos lessers. Ele próprio se sente morto. Vivi orando para a Virgem Escriba, para que tome seu corpo e o envie para junto dos seus entes queridos. As únicas coisas que o mantém vivo é a dedicação de seu filho adotivo, John, e a sede da vingança. Matar tantos lessers quanto for possível até encontrar sua própria morte. Esse é seu objetivo. Porém Lassiter, o anjo que o achou, quando ele tinha se perdido em sua dor, tem uma missão que precisa ser cumprida. Fazê-lo seguir em frente e deixar sua amada partir para o Fade…

No’One aproveita sua ida a terra para tentar desculpar-se com sua filha  Xhex… e se possível, com Tohr. Por suas más ações no passado. Lassiter, o anjo pecador, vê em suas mãos o instrumento para a cura do guerreiro. Unir dois corações devastados, mesmo que eles não se queiram. Nem que para isso, ele tenha que forçar a Tohr a aceitá-la como sua  amante…

QUER SABER MAIS? ACESSE:   www.jrward.com

VAMPIT

J. P. Santos. Agradesce.

https://vampitdivulgalivros.wordpress.com

Contato:

jugloxinia@uol.com.br

GOSTOU?

DEIXE O SEU COMENTÁRIO.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s