MILLENNIUM – 2° LIVRO – A MENINA QUE BRINCAVA COM FOGO

DE: STIEG LARSSON

BRINCAVA COM FOGO

     “… Mia Bergman acabava de fazer café e colocá-lo na garrafa térmica quando tocaram a campainha. Eram quase nove da noite. Dag Svensson estava mais perto da porta e achando que era Mikael Blomkvist chegando mais cedo que o previsto, abriu imprudentemente a porta sem olhar pelo olho mágico. Em vez de Mikael, viu-se diante de uma moça que lhe era uma total estranha, uma moça miudinha que parecia uma boneca e que ele confundiu com uma adolescente.

    – Eu queria falar com Dag Svensson e Mia Bergman – disse a moça.

     – Eu sou  Dag Svensson.

     – Queria falar com o senhor.

   Dag consultou o relógio maquinalmente. Mia Bergman apareceu no hall de entrada e mostrou um rosto curioso atrás de seu companheiro.

     – Acho que está meio tarde para uma visita – disse Dag.

     A moça olhou para ele, calada e cheia de paciência.

      – Qual seria o assunto? – ele perguntou.

   – Queria falar sobre o livro  que você pretende publicar na Millennium.

     Dag e Mia trocaram um olhar.

     – E você, quem é?

    – O assunto me interessa. Posso entrar ou vamos ficar de papo aqui na porta?

    Dag Svensson hesitou um momento. A moça era sem dúvida uma total desconhecida e o horário de visita não era dos mais habituais, mas parecia suficientemente inofensiva para que ele abrisse a porta toda. Conduziu-a até a mesa de jantar da sala.

     – Aceita um café? – perguntou Mia.

     Dag olhou irritado para a companheira.

     – Quem sabe você responde a minha pergunta: quem é você?

   – Aceito, obrigada. Quero dizer, o café. Meu nome é Lisbeth Salander.

     Mia deu de ombros e abriu a garrafa térmica. Já tinha trazido as xícaras prevendo a visita de Mikael Blomkvist.

    – E o que a leva a crer que pretendo publicar um livro pela Millennium? – perguntou Dag Svensson.

     Súbito, foi tomado por uma forte desconfiança, mas a moça o ignorou e, em vez disso, encarou Mia Bergman. Fez uma careta que poderia ser interpretada como um sorriso de esguelha.

     – É uma tese interessante – disse ela.

     Mia Bergaman ficou estupefata.

     – O que você sabe sobre a minha tese?

     – Topei com uma cópia dela – respondeu a moça, misteriosa.

     A irritação de Dag Svensson duplicou.

    – Agora, acho que está na hora de você me dizer o que quer – falou com voz rude.

    O olhar da moça cruzou com o seu. Ele observou, de repente, que sua pupila era tão escura que, na luz,  seus olhos pareciam carvão. Compreendeu que se enganara quanto à sua idade – ela era mais velha do que ele julgara de início.

     – Quero saber por  que você anda fazendo perguntas sobre Zala, Alexandre Zala, por toda parte – disse Lisbeth Salander. – E antes de mais nada, quero saber exatamente o que você sabe sobre ele.

    Alexandre Zala – pensou Dag Svensson, subitamente chocado. – Nunca tinha escutado o primeiro nome antes.

   Dag Svensson examinou a moça a sua frente. Ela ergueu a xícara e tomou um gole de café sem desviar o olhar do dele. Seus olhos eram desprovidos de calor. De repente ele sentiu vagamente incomodado…”

A MENINA QUE BRINCAVA COM FOGO – Mikael Blomkvist passava uma ou duas vezes por mês, no apartamento de  Lisbeth Salander, desde que ela tinha simplesmente desaparecido. Ela tinha entrado em sua vida por motivos profissionais, após ele ter sido condenado por difamação em uma publicação de sua revista, Millennium. Ela tinha ajudado-o a desvendar o misterioso desaparecimento de uma menina. Mas, há poucos dias ele a tinha visto de longe, fugindo de um homem que aparentemente queria sequestrá-la. Depois disso sumiu, de novo, misteriosamente.

Alguns dias depois, Salander é acusada de triplo assassinato, e a policia está em seu encalço.

Mikael conheceu um pouco de Salander. E ao contrário do que a empresa anunciava, ela era muito inteligente, uma hacker de primeira, um pouco arredia, podendo ser muito, muito violenta quando provocada. Ele teve provas disso, quando ela o salvou, de um serial-killer, perigoso. Mas, quando ela é acusada de matar seu tutor e duas pessoas que ele conhecia, e que  estavam trabalhando em uma matéria que iria denunciar muitas pessoas importantes,  numa publicação na Millennium, ele fica preocupado. E fará de tudo para descobrir a verdade.

E assim começa uma corrida para ver quem conseguirá pegar Salander primeiro: A polícia. Que tem provas incondicionais de sua culpa; Seu antigo chefe. Que também acredita em sua inocência e investe numa investigação particular para encontrá-la; Mikael. Que precisa encontrá-la antes de todos. Independente de sua inocência ou de sua culpa, ele quer protegê-la dela mesma, de ser morta, antes de poder esclarecer o que de fato aconteceu. E saber que relação tem ela com um tal de Zala, que aparece como um curinga nas investigações…

QUER SABER MAIS? ACESSE: www.stieglarsson.com

Volte sempre a,

VAMPIT.

J. P. Santos, agradece.

https://vampitdivulgalivros.wordpress.com.

 jugloxinia@uol.com.br

GOSTOU?

DEIXE SEU COMENTÁRIO.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s