SÉRIE DOCE – 5° LIVRO – DOCE POSSESSÃO

DE: MAYA BANKS

SWEET SURENDER

     “… Quando ele finalmente ergueu o olhar para pegar o dela, viu os olhos azuis de cristal olhando-o com o mesmo desinteresse que sabia que tinha que estar refletido em seu olhar. Ela adotou um olhar aborrecido com seus dois gorilas que continuavam ao seu lado.

    Seu olhar mudou-se propositadamente para o cabelo. Fios negros atirados em diferentes direções, uma faixa de neon rosa fugia do topo do seu couro cabeludo para o lado da cabeça do lado esquerdo.

      – Cabelo legal, –  disse ele.

     A diversão brilhou por um momento nos olhos dela antes de olhar incisivamente em Phillip e Barry.

    Phillip deu um passo adiante, um sorriso, largo indulgente em seu rosto, e por que deveria ser outra coisa, quando essa garota iria provavelmente dar-lhe milhões?

     – Lyric, gostaria que você conhecesse Connor Malone. Ele está aqui pela Malone e Filhos Security. Estamos falando com ele sobre a sua próxima parada, em Houston.

     Ela piscou um olhar desafiador e não estendeu a mão, mas depois, nem ele tinha feito. Finalmente ela quebrou e olhou para Phillip.

     – Você conhece meus sentimentos sobre este assunto. Por que ele está aqui?

     Connor quase sorriu. Aparentemente, ela não estava mais feliz sobre a coisa toda do que ele. Ela cruzou os braços sobre o peito, o que só serviu para aumentar seus pequenos seios para cima. As ondas espiaram por cima do seu espartilho e a pele pálida brilhava na luz. Suave. Um contraste direto com seu comportamento.

     Barry franziu a testa e deu um passo adiante.

   – Agora, Lyric, nós discutimos isso. Malone e Filhos é altamente recomendado. Você não tem segurança suficiente, há meses, depois dos últimas pessoas que deveria olhar você,  precisa mais.

     Ela estendeu a mão para empurrar um dos guarda-costas, que estava aninhado em seu pescoço. Em vez de ser rejeitado, ele se recostou, com um sorriso preguiçoso no rosto que sugeria que estaria satisfeito depois.

     Se estes eram os idiotas encarregados de sua segurança, não era de admirar que sua gravadora estivesse gritando por mais. Sua única preocupação parecia ser a rapidez com que eles pudessem entrar em suas calças.

     Seu olhar encontrou o seu de novo, e seus olhos se estreitaram. Ele olhou calmamente para ela, recusando-se a ser o único que recuava. Não teve muito cuidado se ela pudesse ler o seu desgosto. Era duvidoso que pudesse escondê-lo de qualquer maneira. Ninguém era tão bom ator.

     Sua pele começou a formigar na consciência peculiar. A parte de trás do pescoço coçava algo feroz, mas não quis dar uma polegada neste silencioso cabo de guerra.

     – Não gosto de você, –  ela finalmente disse.

     Para seu horror absoluto, ele ficou rígido.

     Ele sorriu. Um preguiçoso sorriso – Eu não dou à mínima. –  Era isso ou gemer de seu desconforto crescente, e comeria as unhas antes de permitir que soubesse como foi afetado por ela.

     – O sentimento, Sra. Jones, é totalmente mútuo.

     Ela franziu a testa, em seguida, passou o braço em torno de um dos gigantes ao lado dela, que imediatamente se inclinou para beijar seu rosto. O outro amontoado estreitou em seu outro lado, ela inclinou um sorriso malicioso para ele.

     Ela pode muito bem ter usado uma placa que dizia “eu sou fodida por ambos” para toda a discrição, que exercia.

     – Convido a se juntar a nós, Sr. Malone, mas de alguma forma você parece muito tenso.

     Ele riu e orou que ela não conseguisse ver sua ereção, por que…             Maldita.

     – Receio que eu seja um pouco mais exigente quando se trata de meus parceiros de cama do que você.

     A cor tingiu suas bochechas e então ela se virou, ambos os guardas imediatamente a circundaram, enquanto caminhou para a porta.

     Phillip limpou a garganta ao lado de Connor. Connor olhou para cima.

     – Lyric é…  uhm…  digamos um pouco difícil? –  Phillip começou.

    Connor estava começando a pensar que era sua descrição padrão. Ele ergueu a mão.

     – Salve isto. Você não tem suficiente dinheiro para fazer-me tomar este trabalho. Eu teria que ser um fodido louco…”

(Traduzido por fãs) DDisp. e Tradução: Rachael, RRevisora Inicial: Tina, RRevisora Final: Dyllan, FFormatação: Dyllan, LLogo/Arte: Dyllan

DOCE POSSESSÃO – Connor Malone é solicitado como guarda-costas de uma cantora, de rock, famosa. Mas não há nada que ele queira fazer menos do que ser babá de uma celebridade enquanto ela está em férias. Mas Pop, o seu pai e patrão, não lhe dá escolhas.

Lyric Jones é uma estrela pop mimada que vive para brilhar. Está acostumada a conseguir tudo o que quer e ter todos, a todo o momento, em suas mãos. Parte dele não quer assumir esse trabalho, ela é arrogante,  tão volúpia… mas a outra parte aprecia poder domesticá-la.

Ela é difícil de lidar e fora de controle. E a ideia de ter outro guarda costas a agrada tanto quanto ao próprio Connor. Mas seu passado a assombra, por isso não pode ficar sozinha. E o seu maior problema, é não saber que esta correndo um verdadeiro perigo.

À medida que Connor a conhece mais, apesar de suas loucuras, ele se sente atraído por ela. Ele a vê tão vulnerável… E seus segredos…  poderiam destruí-la.

QUER SABER MAIS? ACESSE:  http://www.mayabanks.com

volte sempre a:

VAMPIT

J. P. Santos. Agradesce.

https://vampitdivulgalivros.wordpress.com

Contato:

jugloxinia@uol.com.br

GOSTOU?

DEIXE O SEU COMENTÁRIO.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s