ANITA BLAKE – 8,5 CONTO – STRANGE CANDY

DE: LAURELL K. HAMILTON

8,5° conto - A garota enfeitiçada

    “… Ele disse alguma coisa e eu não podia ouvi-lo sobre a batida da música. Eu balancei a cabeça e ele deu um passo mais perto, perto o bastante que o vermelho de sua camisa preencheu a minha visão, mas era melhor do que encarar aquele olhar penetrante. Ele se inclinou sobre mim e eu o senti como uma linha de calor, perto o suficiente para beijar, perto o bastante para tantas coisas. Eu já estava grudada na parede; não havia outro lugar para ir.

     Ele teve que trazer sua boca para  perto do meu rosto, uma parte do seu longo cabelo se movendo contra a minha boca, enquanto ele dizia:

     – Ma petite, faz um longo tempo. – Sua voz, mesmo sobre o barulho, acariciava minha pele como se me tocasse. Ele podia fazer coisas com sua voz que muitos homens não podiam fazer com suas mãos.

     Eu podia sentir o cheiro da sua colônia, picante, exótica, um toque de almíscar. Eu podia quase sentir até o sabor da sua pele na minha língua.  Levou duas tentativas para  que eu conseguisse dizer:

     – Não tanto tempo assim.

  Ele recostou seu rosto contra o meu cabelo, muito delicadamente.

    – Você esta feliz em me ver, ma petite, posso sentir o seu coração agitado.

    – Estou aqui a trabalho. – Eu disse, mas minha voz estava ofegante. Eu geralmente era melhor do que isso perto  dele, mas três meses de celibato, três meses de nada e estar perto dele fica pior. Droga, porque tinha que ficar pior?

     – É claro que você está.

   Eu tive o bastante. Eu coloquei uma mão naquele peito coberto de cetim e empurrei. Vampiros podiam fazer flexões com pequenos caminhões, por isso ele não precisava ter deixado empurrá-lo, mas ele deixou. Ele me deu espaço, e então moveu sua boca, como que se ele tivesse falado alguma coisa, mas eu não podia ouvi-lo sobre a música e o barulho da multidão.

     Eu balancei minha cabeça e suspirei. Nós teríamos que ir para o escritório para que eu pudesse ouvi-lo.

     Ficar sozinha com ele não era a melhor ideia, mas eu queria encontrar Amy Mackenzie e o vampiro que ela iria levar a morte. Eu abri a porta sem olhar para ele. O fotografo tirou fotos enquanto nós entravamos pela porta. Ele devia estar tirando fotos quando Jean- Claude praticamente  me prensou na parede. Eu apenas não tinha notado…”

A GAROTA ENFEITIÇADA PELA MORTE – Anita Blake, executora de vampiros e levantadora de mortos-vivos. Os zumbis.

Depois de alguns meses, afastada de seus amantes, Anita teve que recorrer ao mais sedutor de todos os seus namorados, o vampiro Jean-Claude, para que ele a ajudasse a descobrir quem é o vampiro que esta sendo caçado pela família de sua namorada, por  suspeita de que ele vá transformá-la também em um vampiro.

O trabalho dela é simples, identificar o vampiro suspeito e evitar uma tragédia, a da execução dele mesmo, se transformar a menina antes de completar dezoito anos.  Mas o que ela não contava era ter que lutar contra o seu pior inimigo:

O desejo.

QUER SABER MAIS? ACESSE: www.anitablake.com

Volte sempre a,

VAMPIT.

J. P. Santos, agradece.

https://vampitdivulgalivros.wordpress.com.

Contato:

 jugloxinia@uol.com.br

GOSTOU?

DEIXE SEU COMENTÁRIO.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s