O TÚMULO DO LADRÃO

DE: JANA LAUXEN

o Túmulo

   … Quando eu cheguei, Ubaldo estava bêbado do que jamais poderia imaginar. Vi que tinha o rosto inchado, a boca machucada, mas fingi que nada percebi e lhe dei alguns tapinhas no ombro.

   – Tudo bem, Ubaldo?

  Ele pareceu feliz em me ver. Muito feliz, na verdade. Cumprimentou-me acaloradamente, como se fôssemos amigos de longa data, e puxou uma cadeira para que eu pudesse me sentar também. Pediu, sem perguntar se eu queria, mais duas doses, e começou a falar baixinho, intimamente:

   – Apanhei.

   – Pois é, reparei. De quem?

   – Do delegado Amorim, aquele corno.

   – O delegado Amorim bateu em você?

   Ele balançou a cabeça afirmativamente.

   – Bateu. Primeiro me chamou, queria  que eu ajudasse a encontrar o sequestrador. Mas agora me deu socos e não quer me ver nem pintado de ouro.

   – Mas por quê?

   Ubaldo pareceu satisfeito com a minha pergunta. Olhou para um lado, depois para o outro, como para se certificar de que nenhum intruso acompanhava nossa conversa, e então falou, a cabeça inclinada para frente, uma das mãos na boca:

   – Ele não gosta de mim por que dormir com a mulher dele.

   Arregalei os olhos, honestamente espantado. Ele prosseguiu calmamente, como se não estivesse me contando uma novidade bombástica:

   – Dormi mesmo, e em muito mais de uma ocasião. E dormiria de novo, mil vezes. Mas sabe o que foi pior?

   – O que?

   – Na época, ele me contratou para descobrir com quem a mulher dele estava dormindo…

O TÚMULO DO LADRÃO – Amorinha é uma próspera cidade. Todos de Amorinha  são co-cidadãos exemplares. Ninguém erra. Ninguém comete nenhum ato ilegal. Um único roubo cometido nessa cidade virou um símbolo, um aviso aos forasteiros. Quem cometer um crime poderá ser morto…

O delegado Amorim que nunca teve que prender ninguém se vê as voltas, quando seis pessoas de bem desaparecem.  Quem poderia ter  cometido esses crimes? Onde foram parar essas pessoas?  Um padre, um psicólogo, uma professora, uma viúva,  um empresário e um pai exemplar. Amorinha entra em pavorosa. O delegado chama um detetive para auxiliá-lo… Mas, quem seriam os suspeitos? Um forasteiro, um louco… Ou seria um amorinense?

Mas um túmulo no meio da praça  central, esconde um grande  mistério…

QUER SABER MAIS? ACESSE: http://www.janalauxen.com

VAMPIT

J. P.Santos. Agradece.

https://vampitdivulgalivros.wordpress.com

Contato:

jugloxinia@uol.com.br

GOSTOU?

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s