MEU MARIDO, MEU AMANTE, MEU ETERNO NAMORADO

DE: JUSSARA PIRES

 

 

Dormir e acordar juntos, o relacionamento é claro, se desgasta. É preciso sempre regar as flores para elas desabrocharem sempre belas.

Aproveitando o dia dos namorados resolvi fazer-lhe uma surpresa. Mas para isso era preciso preparar o terreno.

Peguei os filhos na escola e despachei para longe. Dei uma passadinha no mercado e comprei o necessário, ainda passei em uma loja e comprei um presente. Cheguei em casa esbaforida, corri para deixar a casa limpa. Fiz as unhas, o cabelo e coloquei uma roupa bem bonita.

Mesa posta, cama arrumada e no forno um assado. Olhei pela janela, cansada, tudo preparado para o jantar surpresa.

Sentei esperando… O relógio na parede pendurado marca o tempo num tic-tac sincronizado. Passou dez minutos e nada. Passou meia hora, uma hora, depois de duas eu já estava desesperada! O tic-tac me atormentando. Bateu a ideia de que ele estava me traindo. Será? Mas se fosse isso…

Já me vi pegando a dita cuja, eu levaria pra ela as roupas sujas dele, principalmente as cuecas borradas. E é claro, não iria deixar nem um dente em sua boca. Com ele eu iria pegar pesado, tirava tudo, não deixaria nem um tostão em seu bolso. Arrebentaria o carro, as roupas faria picados. Contrataria até alguém para deixar o olho dele roxo.

Eu estava furiosa só em pensar que ele poderia estar me traindo. Mas ao ouvir a freada do carro na porta, dei uma última olhada no espelho. Ele só deveria ter se atrasado um pouco, foi isso! Expectativa. Ansiosa. De braços abertos eu o recebi. Eu esperava pelo menos um abraço, e quem sabe um beijo. Ele entrou, mas não deu nem boa noite, passou por mim, e desmaiou no quarto.

Fiquei arrasada!

Passei a noite inteira chorando e, o amaldiçoando a morte. Acabei dormindo com os olhos inchados e pensando na minha sorte: “ele deve estar com outra, só pode. Mas amanhã ele vai ver, eu tiro isso a limpo.”

Desperto com alguém me chamando.

 ― Acorda amor!

Abro os olhos. Estou sentada na cadeira a qual me sentei na sala. A casa está coberta de pétalas, velas acesas e o jantar posto na mesa. E o meu amado com um buquê de rosas na mão, sorrindo.

Olhei automaticamente para o relógio, só tinha passado vinte minutos. Tinha dormido cansada. Caí na gargalhada.

 ― Ué! Do que está rindo, fiz algo de errado!

 ― Não meu bem! Está tudo certo. Perfeito! Foi apenas um sonho… Um sonho não, um pesadelo!

Meu marido, meu amante. Meu eterno namorado… Mas com um olho fechado e o outro aberto.

 

Contato:

jugloxinia@uol.com.br

Anúncios

DIA DOS NAMORADOS

 

 

UM BEIJO…

 

 Um beijo de longe é estralado.

Um beijo na testa é fraterno.

 Um beijo no rosto é carinhoso.

 

 Um beijo na mão é sinal de respeito.

 

 Um beijo na palma da mão é muito  ousado.

 Um beijo no pé, em um bebê,  é delicado.

 Um beijo no pé, em um adulto, é complicado.

 

 Um beijo quando sobe pelo braço é desejo.

 

Um beijo na nuca,  faz arrepiar, e é bom de mais.

Um beijo na boca, quando roubado, tem gosto de quero mais.

 

Um beijo na boca, quando dado,  é promessa dos momentos que virá.

Um beijo na boca, quando tomado, mostra o quanto eu te quero.

Um beijo na boca , quando dividido,  é promessa de bons momentos íntimos.

Um beijo em qualquer outra parte o corpo, tenha cuidado…

Ou é muito gostoso,

 

Ou é muito descarado.

Nesse dia dos namorados eu quero de você só um presente,

Um beijo…

Por que um beijo é de longe o presente mais gostoso.

Mas pode vir acompanhado de um mimo,

Eu deixo.

 Pode ser um  perfume, do bom! Uma joia, bem cara! Ou simplemente um livro… eu aceito.

 

Mas o que não pode  faltar com certeza,

 

 

É o beijo!

 

FELIZ DIA DOS NAMORADOS, A TODOS OS APAIXONADOS!

SÃO OS VOTOS DE VAMPIT

J. P. Santos. https://vampitdivulgalivros.wordpress.com

DIA DAS MÃES

ESSA É PRÁ VOCÊ MÃE…

 

J. Pires.

Não fique triste se acaso eu não estiver ai, no seu dia… Por que na verdade todos os dias são seus.

Não pense que te esqueci se acaso não te ligar…  Meu celular pode estar sem credito.

Não fique achando que  te troquei por outra pessoa…  Por que mãe…  Mãe não se troca.

Não fique chatiada se acaso não te comprar um presente…  Quando eu chegar, te dou um beijo.

 

Peço perdão se um dia te disse alguma coisa que te ofende-se… Foi sem querer.

Ou se fiz algo que te magoa-se… E não percebi.

Desculpe-me pelas horas de aborrecimento… Foi só no momento.

Mas não pense que foi só porque você não  me deu a luz  que eu não te considero  minha  mãe…  Ser mãe não é só dar a luz. É criar, educar e dividir emoções.

E nem porque você não seja uma mulher… Ser mãe não tem sexo, ser mãe não tem raça, ser mãe é cuidar, é estar sempre presente nos bons e nos maus momentos.

 Perdoe-me se lhe pareço ingrato… Mas eu não esqueci o quanto você foi e é importante prá mim.

 Lembro-me bem!

 De sua mão me segurando para eu dar os meus primeiros passos.

Da felicidade de quando você me ajudou a balbuciar minhas primeiras palavras. 

Quando você me disse não, para as coisas erradas.

Quando você aplaudiu as coisas que eu fiz certas.

Quando me apoiou quando mais precisei.

Acalentou-me, quando eu estava ferido.

E festejou comigo quando eu,

Superei os meus

 Medos. 

Mãe… 

 Seja lá quem você for.

Esteja você a onde estiver.

O que importa é o carinho que eu tenho por você.

O que importa são os momentos que somos ou que fomos felizes juntos.

O que importa é que não te esqueço mesmo quando estou distante.

E o mais importante mãe,

 É que eu te amo.

De todos os filhos.

Feliz dia das mães. São os votos de Vampit para todas vocês:

 MÃE!!

J. P. Santos. https://vampitdivulgalivros.wordpress.com

O DIA 1° DE MAIO, É O DIA DO TRABALHO E O DA LITERATURA BRASILEIRA

ENTÃO, COMEMORE ESSE DIA LENDO!

 

 

 

 UM POUCO DE TERROR COM VIANCO

 

  OU COM ADEMIR PASCALE.

 

 

  ” O  Dia do  Trabalho remonta ao  ano  1886, quando  operários da cidade de Chicago  foram às ruas pedir  por  melhores condições de trabalho. Eles reivindicavam a redução da jornada de trabalho  de 13 para 8 horas. Como forma de protesto, os  trabalhadores americanos iniciaram  uma greve geral.

 Alguns dias após a manifestação, os  trabalhadores confrontaram-se com  policiais e alguns operários foram  mortos no  conflito. Como forma de homenagear os   mortos no  conflito, instituiu-se  1 de maio como  Dia do  Trabalho. No  Brasil, a data é  comemorada desde 1940.

A literatura, como  representação e visão de  mundo,  também reflete questões relacionadas aos anseios dos trabalhadores. O francês Victor  Hugo  publicou as célebres obras  Os miseráveis (1862) e Os trabalhadores do mar (1866);  os  brasileiros Vinícius de  Moraes,   Chico Buarque e  Lúcio  Barbosa escreveram as canções  Operário em  construção (1956), Construção (1971) e  Cidadão  (conhecida na voz de Zé Ramalho),respectivamente.  Em 1972,  Victor Giudice  publicou  o   livro   O  necrológio, que  continha o  conto  abaixo:

O  ARQUIVO

Victor  Giudice

No fim de um ano de trabalho, João obteve uma redução de quinze por cento em seus vencimentos.

João era moço. Aquele era seu primeiro emprego. Não se mostrou orgulhoso, embora tenha sido um os poucos contemplados. Afinal, esforçara-se. Não tivera uma só falta ou atraso. Limitou-se a sorrir, a agradecer ao chefe.

No dia seguinte, mudou-se para um quarto mais distante do centro da cidade. Com o salário reduzido, podia pagar um aluguel menor.

Passou a tomar duas conduções para chegar ao trabalho. No entanto, estava satisfeito. Acordava mais cedo, e isto parecia aumentar-lhe a disposição.

Dois anos mais tarde, veio outra recompensa.

O chefe chamou-o e lhe comunicou o segundo corte salarial.

Desta vez, a empresa atravessava um período excelente. A redução foi um pouco maior: dezessete por cento.

Novos sorrisos, novos agradecimentos, nova mudança.

Agora João acordava às cinco da manhã. Esperava três conduções. Em compensação, comia menos. Ficou mais esbelto. Sua pele tornou-se menos rosada. O contentamento aumentou.

Prosseguiu a luta.

Porém, nos quatro anos seguintes, nada de extraordinário aconteceu.

João preocupava-se. Perdia o sono, envenenado em intrigas de colegas invejosos. Odiava-os. Torturava-se com a incompreensão do chefe. Mas não desistia. Passou a trabalhar mais duas horas diárias.

Uma tarde, quase ao fim do expediente, foi chamado ao escritório principal.

Respirou descompassado.

— Seu João. Nossa firma tem uma grande dívida com o senhor.

João baixou a cabeça em sinal de modéstia.

— Sabemos de todos os seus esforços. É nosso desejo dar-lhe uma prova substancial de nosso reconhecimento.

O coração parava.

— Além de uma redução de dezesseis por cento em seu ordenado, resolvemos, na reunião de ontem, rebaixá-lo de posto.

A revelação deslumbrou-o. Todos sorriam.

— De hoje em diante, o senhor passará a auxiliar de contabilidade, com menos cinco dias de férias. Contente?

Radiante, João gaguejou alguma coisa ininteligível, cumprimentou a diretoria, voltou ao trabalho.

Nesta noite, João não pensou em nada. Dormiu pacífico, no silêncio do subúrbio.

Mais uma vez, mudou-se. Finalmente, deixara de jantar. O almoço reduzira-se a um sanduíche. Emagrecia, sentia-se mais leve, mais ágil. Não havia necessidade de muita roupa. Eliminara certas despesas inúteis, lavadeira, pensão.

Chegava em casa às onze da noite, levantava-se às três da madrugada. Esfarelava-se num trem e dois ônibus para garantir meia hora de antecedência. A vida foi passando, com novos prêmios.

Aos sessenta anos, o ordenado equivalia a dois por cento do inicial. O organismo acomodara-se à fome. Uma vez ou outra, saboreava alguma raiz das estradas. Dormia apenas quinze minutos. Não tinha mais problemas de moradia ou vestimenta. Vivia nos campos, entre árvores refrescantes, cobria-se com os farrapos de um lençol adquirido há muito tempo.

O corpo era um monte de rugas sorridentes.

Todos os dias, um caminhão anônimo transportava-o ao trabalho. Quando completou quarenta anos de serviço, foi convocado pela chefia:

— Seu João. O senhor acaba de ter seu salário eliminado. Não haverá mais férias. E sua função, a partir de amanhã, será a de limpador de nossos sanitários.

O crânio seco comprimiu-se. Do olho amarelado, escorreu um líquido tênue. A boca tremeu, mas nada disse. Sentia-se cansado. Enfim, atingira todos os objetivos. Tentou sorrir:

— Agradeço tudo que fizeram em meu benefício. Mas desejo requerer minha aposentadoria.

O chefe não compreendeu:

— Mas seu joão, logo agora que o senhor está desassalariado? Por quê? Dentro de alguns meses terá de pagar a taxa inicial para permanecer em nosso quadro. Desprezar tudo isto? Quarenta anos de convívio? O senhor ainda está forte. Que acha?

A emoção impediu qualquer resposta.

João afastou-se. O lábio murcho se estendeu. A pele enrijeceu, ficou lisa. A estatura regrediu. A cabeça se fundiu ao corpo. As formas desumanizaram-se, planas, compactas. Nos lados, havia duas arestas. Tornou-se cinzento.

João transformou-se num arquivo de metal.”

ORIGEM:  CONVERSA DE PORTUGUÊS.

http://conversadeportugues.com.br

 J. P. Santos. https://vampitdivulgalivros.wordpress.com

O DIA MUNDIAL DA TERRA, 22 DE ABRIL

 

Canção do Exílio

  

 

 “Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui
gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

 

 

 Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida
Nossa vida mais amores.

 

 

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

 

 

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar — sozinho, à noite —
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

 

 

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu’inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá

 

Gonçalves Dias

J. P. Santos.https://vampitdivulgalivros.wordpress.com

O VERDADEIRO DIA DAS MULHERES

Fonte:

Postado por CLAUDIR MATEUS

”A história de todas as sociedades que existiram até nossos dias tem sido a história das lutas de classes.” (Karl Marx) O Dia Internacional da Mulher, celebrado a 8 de Março, tem como origem as manifestações das mulheres russas por “Pão e Paz”, por melhores condições de vida e trabalho e, contra a entrada do seu país na Primeira Guerra Mundial. Essas manifestações marcaram o início da Revolução de 1917. Na antiga União Soviética, durante o stalinismo, o Dia Internacional da Mulher tornou-se elemento de propaganda partidária. Mas, a mídia burguesa dificilmente divulga a verdadeira razão pelo qual comemora-se o dia da mulher, geralmente se dá apenas uma conotação meramente comercial e, com objetivos claros, o de aquecer o mercado capitalista. As comemorações alusivas ao dia da mulher, omite que essa data é o marco do início da libertação e, da luta das mulheres em defesa de uma sociedade mais igualitária.

É no contexto da Segunda Revolução Industrial e da Primeira Guerra Mundial, que ocorre a incorporação da mão-de-obra feminina, em massa, na indústria. As condições de trabalho, frequentemente insalubres e perigosas, eram motivo de frequentes protestos por parte dos trabalhadores.

Embora muitas manifestações ocorressem em várias partes do mundo, o fato mencionado se deu no auge da revolução nas indústrias e no crescente fortalecimento do capitalismo. Diante de um quadro de desrespeito e desigualdade, surgiu a necessidade da luta de classes, sobretudo a luta das mulheres que além da submissão patriarcal, também combatiam os grilhões da escravidão assalariada.

Foi nesse contexto, que no dia 8 de Março de 1857, 130 operárias têxteis de Nova York, insurgiram, ocuparam uma fábrica e declararam greve por melhorias nas condições de trabalho. Reivindicavam melhores salários e redução na jornada de trabalho de 16 para 10 horas.

Diante da insubordinação dessas trabalhadoras, que tinham consciência plena de seus papeis no processo de transformação da sociedade naquele momento, então, os patrões optaram por medidas extremas e, em nome da dominação e dos previlégios resolveram trancar a fábrica e incendiá-la com as trabalhadoras presas em seu interior.

A ideia da existência de um dia internacional da mulher surge na virada do século XX, sendo que o primeiro Dia Internacional da Mulher foi celebrado em 28 de Fevereiro de 1909 nos Estados Unidos, por iniciativa do Partido Socialista da América, em memória da greve das operárias da indústria do vestuário de Nova York, em protesto contra as más condições de trabalho.

Na verdade todo os dias, deve ser dia de mulheres e homens que lutam por um mundo mais justo e igualitário.

Fonte:

Postado por CLAUDIR MATEUS

http://ensopadosdahistoria.blogspot.com/2011/03/o-dia-internacional-da-mulher-o.html